Profissionais procuram ajuda do “Mentoring” para alavancar carreira em Sustentabilidade

13/10/2008 • Regina Migliori
São Paulo, outubro de 2008 – Empresas e profissionais procuram posicionamentos estratégicos frente às questões de sustentabilidade. Seja para manter ou aumentar as chances de colocação no mercado ou, ainda, desenvolver novas oportunidades de carreira. No Brasil, a carteira do Índice de Sustentabilidade Empresarial da Bovespa, que vigora até o dia 30 de novembro de 2008, reúne 40 ações emitidas por 32 empresas de 13 setores, que totalizam R$ 927 bilhões em valor de mercado. Esse montante corresponde a 39,6% da capitalização total da Bovespa, que atualmente é de R$ 2,3 trilhões.
 
Frente a esta nova realidade, importantes corporações investem em seus profissionais para atender as demandas das recém-criadas áreas de sustentabilidade. Para garantir a excelência no desempenho dos profissionais em suas respectivas funções de liderança, o Instituto Migliori é o pioneiro no Brasil a atender o segmento por meio do Mentoring em Sustentabilidade. Trata-se de uma ferramenta utilizada para auxiliar os profissionais na formação pessoal, estruturação das áreas e prepará-los para medir os resultados. “Há uma geração de lideranças nas corporações que não tiveram tempo nem oportunidade para se preparar, e o Mentoring está ajudando a suprir esta demanda”, explica Regina Migliori, diretora da consultoria e responsável pelo desenvolvimento e implementação do projeto.
 
Regina destaca que o Mentoring é uma técnica de desenvolvimento humano realizado quase como uma aula particular, um acompanhamento muito próximo, individual ou em pequenos grupos de líderes. “Conciliamos a compreensão dos conceitos de sustentabilidade alinhados às suas aplicações específicas no âmbito dos negócios da empresa”, destaca a diretora. Há dez anos, Regina conta que um profissional para atuar nesta área precisava ter somente um perfil “idealista”. “Hoje, o profissional, além de estar alinhado à causa tem que possuir e desenvolver um conjunto de competências”, afirma.
 
Neste cenário, o Mentoring em Sustentabilidade do Instituto Migliori vem atuando com profissionais de destaque em empresas como o Banco Real e Basf.
 
Principais competências
Para os profissionais que desejam atuar nas áreas de sustentabilidade, Regina Migliori destaca as principais competências exigidas pelo mercado:
• Saber trabalhar com a diversidade e com uma equipe multidisciplinar;
• Interagir de forma sistêmica com diferentes contextos;
• Ter facilidade para traduzir os novos conceitos em modelos, estratégias e operações;
• Identificar parâmetros universais para dialogar com diferentes públicos;
• Saber resgatar a natureza benéfica do negócio em que atua;
• Estabelecer estratégias de monitoramento de competências e impactos econômicos, ambientais, e sociais.
• Fazer a gestão de ativos tangíveis e intangíveis.
• Traduzir sua atuação em resultados estratégicos sustentáveis para a organização.
 
Regina Migliori
Ainda na década de 80, quando questões como valores, cultura de paz e ética ainda não eram assuntos de interesse de governos e empresas, Regina Migliori foi a pioneira em atuar nesta área, e se mantém atuando junto a importantes grupos empresariais. Ela é educadora, advogada e escritora, além de ser membro do Instituto de Estudos do Futuro, e coordenadora do MBA em Valores, Cultura de Paz e Sustentabilidade da Fundação Getúlio Vargas e programas de pós-graduação em Ética, Valores e Sustentabilidade em outras instituições no Brasil.
 
Na área de sustentabilidade, a consultora tem atuado em projetos para as iniciativas pública e privada como os Governos dos Estados de Minas Gerais e Alagoas, Banco Real, Grupo Votorantim, Basf, Natura, Vale do Rio Doce, Petrobras, além de coordenar os programas em Cultura de Paz junto a Policia Militar do Estado de São Paulo, entre outros.



[voltar]