O adeus a cargos e salários

22/07/2019 • Regina Migliori

A ascensão da tecnologia e a transformação digital estão mudando o mercado de trabalho de forma cada vez mais acelerada. De um lado, a automação de alguns empregos e tarefas, e de outro, o surgimento de novos tipos de trabalho, com base em habilidades e não mais em cargos. Preparar-se proativamente para essa nova realidade, requer a compreensão das mudanças: seus impactos no trabalho, na empregabilidade e no perfil do profissional de RH que irá lidar com essa transformação.

As habilidades são a nova moeda valorizada no mercado de trabalho. Indicam demandas e ofertas cheias de nuances, em um nível mais sutil do que a descrição de cargos e ocupações. A especialização e as habilidades necessárias estão se transformando cada vez mais rapidamente, ao passo que cargos e seus respectivos graus, muitas vezes se tornam desatualizados no mesmo momento em que são obtidos.

O ritmo acelerado dessa mudança, requer também a habilidade de saber acompanhar rapidamente essa nova direção, com foco em características pessoais, em vez de títulos e cargos. Essa é uma variável muito mais dinâmica, cuja análise demanda novos instrumentos, e também a rápida transformação dos próprios profissionais de RH, formuladores de políticas corporativas, para que saibam lidar com esse novo cenário.

As habilidades podem ser compreendidas em quatro categorias, cuja relevância vem aumentando cada vez mais: (1) habilidades funcionais, relacionadas ao “saber fazer”; (2) habilidades de soft power, relacionadas a características e valores pessoais; (3) habilidades digitais, relacionadas à tecnologia; e (4) habilidades de valor agregado, ou seja, uma combinação de aspectos que só você gosta e sabe fazer.




[voltar]