Não quero estar comigo!

06/11/2019 • Regina Migliori

Colocar uma criança de castigo sozinha, significa ensinar a ela que a solidão é um horror a ser evitado. Solidão se tornou sinônimo de infelicidade, de fracasso nas relações. Porém, estar consigo mesmo pode ser uma recompensa.

Ninguém nunca nos ensinou a gostar de estar sozinho. Gastamos um tempo enorme ensinando as crianças a se socializar, mas raramente as deixamos experimentar como é estar sozinho.

Na nossa sociedade, estar sozinho é visto como uma escolha estranha. Ninguém nos encoraja a estarmos sós. São muitas as mensagens que reforçam isso. Hotéis cobram mais caro se a pessoa se hospedar sozinha; embalagens de alimentos individuais são proporcionalmente mais caros do que as grandes. Dificilmente as pessoas vão sozinhas ao cinema ou ao restaurante. Mas, estar sozinho não significa necessariamente estar isolado.

Todos esses fatores acabam por impor à solidão, um padrão de medo, infelicidade e sofrimento. O resultado é fugir de si mesmo.

Declaramos que somos inteligentes, criativos e merecedores de felicidade, mas temos pavor de ficar sozinhos. Não queremos intimidade com essa pessoa!

Estar consigo mesmo pode viabilizar a magnífica descoberta de que sozinho, você é uma pessoa interessante, talvez com recursos internos ainda desconhecidos. Alguns momentos de solidão são preciosos para ampliar a criatividade, a liberdade, a consciência e a felicidade.

Por outro lado, ficar sozinho nos obriga a enfrentar desafios internos. Nosso ego, ou o conceito que temos de nós mesmos, está sempre precisando de algo para ficar inflado, e um diálogo interno direto, sem rodeios, faz com que se sinta vulnerável, pra não dizer irritado! Esse desconforto cria uma imediata resistência aos momentos de solidão.

É exatamente nesses momentos, que a solidão pode ser uma forma de praticar amor e compaixão em relação a si mesmo.

Você pode experimentar estar só de diversas maneiras: em casa, na natureza, meditando, trabalhando. Preste atenção a esses momentos. Investigue seu mundo interno, e descubra um universo infinito de possibilidades.

Algumas pessoas passam a vida reclamando que sonham em fazer algo, mas não encontram companhia. A resposta é simples: faça isso sozinho!




[voltar]